CEFR - Descubra seu nível de Inglês

Recebi um e-mail recentemente pedindo uma postagem específica sobre o Common European Framework of Reference

Se você também não sabe do que se trata, leia até o final, vai ser interessante saber o seu verdadeiro nível de Inglês


O CEFR  "Common European Framework of Reference" é um documento de referencia usado em várias situações diferentes ao redor do mundo , e tem como objetivo  descrever a habilidade de expressão de uma  pessoa em determinado idioma estrangeiro.



Para tanto , foi elaborada uma escala de seis níveis (A1, A2, B1,B2,C1 e C2) que apresentam a competência de comunicação de um nível elementar de conhecimento, até o "near native", ou seja próximo ao de uma pessoa que nasceu no local onde a língua é falada.

Os níveis desta tabela de referencia são muito claros e usam o "can do" ou seja o quanto você consegue se expressar e fazer quando você possuir determinado nível. Outra característica interessante do CEFR é a divisão do conhecimento do individuo pelas suas formas de expressão. Assim alguém pode ter um nível compatível com o A2 para falar , mas quando se expressa por escrito pode ser um A1. Confira os beneficios do uso do CEFR em relação a outras formas:

1) Mostrar de forma direta o quanto alguém consegue se expressar e entender, não apenas falando, mas também usando as demais habilidades de comunicação.

2) Oferece aos estudantes uma ferramenta para entender melhor a sua evolução, e qual o próximo nível que ele terá como meta.

3) Acaba com as incertezas do uso de  convenções tais como "Básico , Intermediário e Avançado" que são usadas por escolas, professores e pessoas  diferentes para descrever coisas diferentes. Apenas como exemplo, em recente contratação de um profissional para nossa área administrativa  recebemos cerca de 300 currículos via e-mail (destes mais de 70% eram de pessoas que se consideravam com um conhecimento básico do idioma inglês).

Ficamos surpresos com este dado e enviamos a todos os candidatos duas perguntas simples:

A) Baseada na tabela abaixo (enviamos a tabela do CEFR) como você se classificaria ?

B) Você consegue  responder em português a esta pergunta formulada em inglês (pergunta simples a respeito de onde fica um determinado hotel e o valor da diária?).

 Com base nas respostas , percebemos que dos candidatos que informaram possuir inglês básico,  mais de 60% responderam que estavam abaixo do primeiro nível da  escala apresentada, ou seja iniciantes absolutos  e não um aluno com conhecimento Básico (os demais apresentavam em suas opiniões níveis variados).

4) Oferece ao individuo uma forma de questionar sua escola e professor a respeito de sua evolução em relação ao programado após um determinado tempo de estudo.

5) Ajuda na hora de escolher uma escola pois cada escola denomina de forma diferente o nível de seus alunos.
Existem escolas que oferecem cursos "completos" em 18 meses , 24 , 38 (mas o que é um curso completo)? Será que escolas que oferece em 18 meses o curso "Basico" ou "Pré Intermediário" não oferecem um nível melhor para seus alunos do que as outras. Dica - compare  escolas  com a tabela do CEFR na mão e tente entender em quanto tempo a escola lhe dará condições suficiente para chegar no nível de seu interesse. Os melhores materiais didáticos a disposição no mercado já apresentam a correlação CEFR / conteúdo da publicação.

6) Auxilia na hora da escolha de uma Certificação Internacional.

Conheça as definições do CEFR e seus níveis :

A1 - Consegue compreender e usar expressões comuns no dia-a-dia e frases bem básicas com o objetivo de satisfazer as necessidades primárias da comunicação. Consegue se apresentar e também apresentar outras pessoas. Consegue fazer e responder perguntas pessoais tais como onde mora, falar sobre pessoas que conhece e sobre o que possui. Consegue interagir de modo bastante simples desde que a outra pessoa fale devagar e claramente.

A2 - Consegue compreender sentenças e expressões freqüentemente relacionadas às áreas de importância primária (por exemplo, informações pessoais e familiares básicas, fazer compras, descrever a geografia local, falar sobre seu trabalho). Consegue se comunicar em tarefas simples e rotineiras desde que estas requeiram uma troca simples e direta de informações sobre assuntos rotineiros e conhecidos. Consegue descrever em termos simples, aspectos de sua formação (background), o ambiente em que vive, e assuntos nas áreas de necessidade primária e imediata.

B1 - Consegue compreender os principais pontos em uma comunicação clara sobre assuntos de seu conhecimento normalmente encontrados na escola, trabalho, lazer, etc. Consegue lidar com a maioria das situações que possam surgir durante uma viagem ao país no qual o idioma é falado. Consegue produzir textos simples sobre temas que lhe sejam familiares ou de interesse pessoal. Consegue descrever experiências e eventos, sonhos, esperanças e ambições, bem como dar breves razões e explicações para suas opiniões e planos.

B2 - Consegue compreender as principais idéias de textos complexos tanto de tópicos concretos quando abstratos, incluindo discussões técnicas na sua área de especialização. Consegue interagir com um grau de fluência e espontaneidade que torna possível a interação regular com os falantes nativos do idioma sem que haja tensão mental de cada participante do ato comunicativo, consegue produzir textos claros e detalhados sobre uma variada gama de assuntos e consegue explicar o ponto de vista de um tópico oferecendo as vantagens e desvantagens de vários pontos.

C1 - Consegue compreender uma variada gama de textos mais longos e complexos, e reconhece o significado implícito dos textos. Consegue se expressar fluente e espontaneamente sem demonstrar claramente que está procurando as expressões que usa. Consegue usar o idioma de modo flexível e eficiente para fins sociais, acadêmicos e profissionais. Consegue produzir textos claros, bem estruturados e detalhados sobre temas complexos, demonstrando ter controle dos padrões organizacionais e estilísticos.

C2 - Consegue compreender com facilidade praticamente tudo o que ouve e lê. Consegue resumir informações de diferentes fontes faladas e escritas, reconstruir argumentos e relatos de forma coerente. Consegue se expressar espontaneamente, de modo bastante fluente e preciso, identificando as entrelinhas do que é dito e escrito nas mais complexas situações.

Sobre o Autor:


Eduardo Souto é Professor de Inglês e Blogueiro, 22 anos de idade. Seu principal objetivo é descomplicar o idioma, mostrando que se você quiser você pode falar inglês!
"Um pouco por dia e seu objetivo será alcançado!"
             
Comentários
0 Comentários

0 comentários: